Casal com Situação Financeira Diferente

Postado por  //  18 de dezembro de 2013  //  Relacionamento  //  Nenhum Comentário

Apesar de muita gente ainda não concordar, pesquisa afirma que o dinheiro é o fator principal que gera conflito entre casais. Antes do casamento algumas pessoas garantem que o dinheiro  nunca será motivo de briga com o parceiro (a) quando se casar. E, quando estão se preparando para o casamento continuam afirmando a mesma coisa. Porém, está provado que uma das coisas que gera briga entre os casais é o dinheiro. E, quando existe uma diferença na situação  econômica do casal, as coisas podem ser um pouco piores.

No calor da discussão um pode acabar falando para o outro coisas bem difíceis de se consertar depois. Em um relacionamento entre casais o dinheiro tem peso muito grande e na maioria das vezes só se fala sobre isso quando já aconteceu algum desentendimento ou pior ainda, quando a relação está por um fio para terminar.

Brigas Entre Casais por Motivo de Dinheiro

Na maioria das vezes, as brigas entre casais quando o assunto é dinheiro acontece por causa de dívidas sem necessidades, gastos em excesso, desperdícios em casa, etc. Porém, se antes de começarem as brigas o casal tivesse adotado algumas medidas, teria evitado danos maiores. Um dos grandes erros que acontece entre casais é não conversar sobre as finanças domésticas. O casal conversa sobre tantas coisas e esquecem uma tão importante, não conversam hora nenhuma sobre planejar o orçamento da família.

Pesquisas sérias afirmam que além de o dinheiro ser o principal causador de conflitos dentro de casa, entre casais, essa situação é mais grave quando o casal tem padrões econômicos diferentes. A maioria dos casais entrevistados que correspondiam a esse padrão disse que o divórcio entre eles foi devido às constantes brigas por causa de dinheiro.

Imagem de Amostra do You Tube

No caso da diferença da situação econômica do casal, outros fatores agravantes se juntam às brigas por conta de dívidas. É o caso das acusações. Geralmente aquele que tem o poder econômico melhor começa a tentar controlar o outro e aumenta a cobrança sobre os gastos, por conta disso em algumas vezes começam a surgir algumas mentiras. A coisa é tão séria, fica tão marcada que mais da metade dos entrevistados disseram que ao começarem outro relacionamento deixaram a parte financeira de fora. Ou seja, cada um com o seu dinheiro.

Histórico de Família Pode Explicar a Forma de Lidar com o Dinheiro

Segundo o economista e consultor financeiro Marcos Silvestre, não é o dinheiro o causador de separação de casais. Ele diz que o dinheiro não separa, mas sim faz com que outras divergências sejam acentuadas. Ainda segundo ele, cada pessoa tem sua forma distinta sobre a forma de entender os significados do dinheiro e, além disso, o histórico de família também faz diferença na forma de lidar com o dinheiro. Por isso, mesmo que duas pessoas se entendam, se respeitem e se amem seu valores são diferentes. E, para equilibrar essa parte de um casal é necessário muita paciência e tempo.

Imagem de Amostra do You Tube

Outro fator importante a ser observado, com relação a histórico familiar é que atualmente em muitas famílias não há a figura do pai presente em casa. Esse fato faz com que cada um dos membros (mais jovens) da família saia para trabalhar para seu sustento e para auxiliar nas despesas da casa. Essa forma de vida faz com que seja despertado na pessoa um certo individualismo. E, isso pode ser levado para o casamento e também refletir na questão financeira do relacionamento.

Pode até ser por isso também, que alguns casais jovens já optam para entrar em um relacionamento com contas individuais e todas as despesas divididas.  O grande problema é que nesse tipo de relacionamento onde na verdade está cada um por si, as coisas só correm bem enquanto os dois estão dividindo as despesas. Porém, se acontecer de um dos dois perder o emprego, o certo em qualquer situação é o outro fazer sozinho as despesas até que tudo se ajeite novamente. Mas onde existe o individualismo não acontece bem assim.

Quem tiver que arcar com tudo o que se refere a despesa da casa enquanto a outra pessoa estiver precisando, por falta de emprego, vai se sentir explorado. Nesse momento, para quem pensa desse jeito, todos os tipos de sentimento ficam encobertos por uma espécie de egoísmo. Não deveria ser assim, um relacionamento de casal é muito mais que um negócio onde se paga despesas de casa. Um relacionamento de casal tem que priorizar respeito, amor, carinho, amizade e companheirismo. E, mais ainda conversar sobre o significado para cada um, do dinheiro.

Dinheiro

Dinheiro

Nos casais com rendas diferentes, para tentar fazer que tudo se ajeite, a primeira sugestão é sentar e conversar. Ambos sabiam dessa diferença antes do casamento e, ela não foi capaz de afastar os dois. Então, é preciso ter muita maturidade  para não deixar que o dinheiro acabe com o casamento.

Primeiro decidam sobre as contas mais ou menos fixas: luz, telefone, água, etc. Resolvam como serão pagas essas contas. Se já está acontecendo problemas por causa de dinheiro, o melhor é dividir tudo. Então, comece dividindo essas contas, meio a meio. Depois conversem sobre as despesas de supermercado. O básico da compra de supermercados é melhor que seja dividido a metade para cada um.

As outras coisas podem ser decididas da seguinte maneira: Cada um compra com o seu dinheiro aquilo que deseja e que não faz parte da compra básica de supermercados.  Essa solução, pode acabar com alguns conflitos. Porém, imagine que constrangimento. Um dos dois pode comprar algo que os dois querem. Como fica o outro que não tem dinheiro para comprar?

Atrapalha

Atrapalha

Uma outra sugestão para tentar resolver esse impasse seria uma conta conjunta cuja finalidade seria as despesas da casa. Se por acaso a sugestão não agradar, a outra é cada um ter uma conta individual, mas ter uma outra contra conta para os dois depositarem o dinheiro para arcar com as despesas da casa. E, o casal procurar sempre conversar sobre as despesas da casa, sobre finanças, sobre ganhos de ambos e também sobre gastos. O mais importante de tudo é não deixar que o dinheiro destrua o relacionamento.

Deixe um Comentário

comm comm comm