Como Se Estabelecem os Vínculos Afetivos?

Postado por  //  3 de julho de 2013  //  Relacionamento  //  Nenhum Comentário

A relação entre pai e filho é constituída por uma combinação de comportamentos, sentimentos e expectativas que são únicas de um pai em especial para uma criança em particular. Esse relacionamento e, como se estabelecem os vínculos afetivos, influenciará todo o desenvolvimento do bebê até sua vida adulta.

.

Características de Pais e Filhos

Dos muitos relacionamentos diferentes que as pessoas formam ao longo da vida, a relação entre pai e filho é um dos mais importantes. A qualidade dessa relação pode ser afetada pela idade do pai, experiência e autoconfiança, a estabilidade do casamento, e as características únicas da criança em comparação com os do pai.

A autoconfiança dos pais é um importante indicador de competência parental. As mães que acreditam que os pais eficazes são mais competentes do que elas que se sentem inferiores. A idade dos pais e a experiência anterior na criação de outros filhos também são importantes.

As mães mais velhas tendem a ser mais sensíveis aos seus filhos do que as mais jovens. Além disso, os pais que tiveram experiência anterior com crianças, seja através de irmãos mais novos, carreira (exercendo profissão que tenha que lidar com crianças), ou filhos anteriores ao casamento atual, são muitas vezes mais capazes de lidar com a paternidade.

.

As características que podem afetar a relação pai-filho em uma família incluem a aparência física da criança, sexo e temperamento. Ao nascer, a aparência física do bebê pode não atender às expectativas dos pais, ou a criança pode se assemelhar a um parente que eles não gostavam.

Como resultado, os pais podem inconscientemente rejeitar a criança. Se os pais queriam um bebê de um determinado sexo, eles podem ficar desapontados se ele for do sexo oposto. Se os pais não têm a oportunidade de falar francamente sobre essa decepção em uma psicoterapia, por exemplo, eles podem rejeitar a criança.

As crianças que são amadas se desenvolvem melhor do que aquelas que não o são. Um dos pais ou uma babá pode servir como o principal membro da família, e formar a relação primária de amor entre pais e filhos.

Como Se Estabelecem os Vínculos Afetivos?

Como Se Estabelecem os Vínculos Afetivos?

A perda do amor sentida por uma criança pode ocorrer com a morte de um dos pais ou a interrupção do contato com eles em virtude de internações, ou viagens prolongadas, ou do divórcio entre os pais. As normas culturais no seio da família também afetam uma criança na maneira com vai atingir determinadas etapas de desenvolvimento.

Impacto Cultural

Em alguns países, a educação dos filhos é considerada responsabilidade única dos pais. As crianças não são levadas às pressas para novas experiências, como o treinamento da toalete ou irem para escolas. Em outros países, as crianças são comumente tratadas de forma rigorosa, com castigo corporal para a indisciplina.

Em outros países, espera-se que as crianças entrem para mundo adulto do trabalho, quando elas ainda são bastante jovens: meninas assumem responsabilidades domésticas, e os meninos fazem o trabalho agrícola.

Impacto da Ordem de Nascimento

Vínculo Materno

Vínculo Materno

A posição da criança na família seja um primogênito, um filho do meio, ou caçula, dentro de uma grande família, tem alguma influência sobre o crescimento e desenvolvimento da criança. Um único filho ou a filha mais velha costuma se destacar em desenvolvimento da linguagem, porque as conversas são principalmente com adultos.

As crianças aprendem observando as outras, no entanto, um primogênito ou filho único, que não tem nenhum exemplo para assistir, não pode se destacam em outras habilidades, como o treinamento do toalete, em uma idade precoce.

Infância

Como os bebês são cuidados por seus pais, ambos têm de desenvolver entendimentos um com o outro. Gradualmente, os bebês começam a esperar que seu pai vá cuidar deles quando eles choram. Aos poucos, os pais respondem e até mesmo antecipam as necessidades do seu bebê. Esta troca e familiaridade cria a base sólida para uma relação que está em pleno desenvolvimento.

Vínculo Mãe-Filho

Imagem de Amostra do You Tube

Um dos aspectos mais importantes do desenvolvimento psicossocial é o apego da criança aos pais. O apego é um sentimento de ligação significativa entre a criança e os pais, que é fundamental para a sobrevivência e desenvolvimento da criança.

Começa imediatamente após o nascimento, e é reforçado pela satisfação mútua da interação entre os pais e o bebê ao longo dos primeiros meses de vida. Até o final do primeiro ano, a maioria das crianças já formou uma relação de apego, geralmente com quem está mais próximo a elas.

Se os pais satisfizerem as necessidades dos seus bebes e lhes fornecerem nutrição, o apego com certeza, sempre ocorrerá. O desenvolvimento psicossocial pode continuar com base nesse sólido vinculo afetivo.

Por outro lado, se a personalidade dos pais inibe sua capacidade de lidar com as necessidades da criança então a relação estará em risco, assim como o bom desenvolvimento da criança.

A qualidade do apego da criança prevê o desenvolvimento posterior. Jovens que emergem da infância com um vinculo afetivo seguro têm mais chances de desenvolver relacionamentos felizes e saudáveis com os outros.

A relação de apego, não só é a estrutura emocional para o desenvolvimento contínuo da relação pai-filho, mas pode servir como base para futuras conexões sociais. As crianças seguras têm pais que tiveram a sensibilidade de entenderem os sinais do seu bebê e responderam adequadamente às suas necessidades.

Durante os anos do ensino fundamental, a criança torna-se cada vez mais interessados em pares, mas isso não é um sinal de desinteresse na relação pai-filho. Em vez disso, com a ampliação natural de habilidades cognitivas e psicossociais, o mundo social da criança se expande para incluir mais pessoas e configurações além do ambiente doméstico.

A relação pai-filho continua, no entanto, a ser a mais importante influência sobre o desenvolvimento da criança. Filhos cujos pais são ambos sensíveis e exigentes continuam a se desenvolverem psicologicamente e socialmente ao longo doas anos até a fase adulta.

Adolescência

Imagem de Amostra do You Tube

À medida que a criança entra na adolescência, as mudanças biológicas, cognitivas, emocionais transformam a relação pai-filho. A criança com impulsos de independência pode desafiar a autoridade dos pais. Muitos deles acham o início da adolescência um período difícil.

Embora o valor das relações de pares cresça durante a adolescência, a relação pai-filho continua a ser crucial para o desenvolvimento psicológico da criança. A autoridade paternal, que combina carinho e firmeza tem o impacto mais positivo sobre o desenvolvimento do jovem.

Os adolescentes que foram criados com uma autoridade equilibrada, que permita que eles possam ser ouvidos continuam a mostrar mais sucesso na escola, melhor desenvolvimento psicológico e menos problemas de comportamento.

Salete Dias

Deixe um Comentário

comm comm comm